terça-feira, 28 de abril de 2009

Na biblioteca com meu professor de história

Lembro-me como se fosse hoje, o dia em que finalmente realizei uma das minhas fantasias sexuais.

Certa vez, precisei ficar até mais tarde na escola e coincidentemente, o professor pelo qual estava apaixonada também ficou. Há muito tempo tinha percebido certos olhares dele sobre mim durante as aulas, assim como ele também já devia ter percebido os meus. Já havia comentado com amigas que poderia até tentar alguma coisa com esse professor; elas inclusive me apoiaram, porém não tive coragem. O que foi diferente nesse dia.


Estava na biblioteca – que apesar de grande estava vazia - estudando para uma avaliação que teria, quando o avistei de longe - ele estava aproximando-se e já havia percebido que eu estava lá. Resolvi não ligar, podia ser apenas impressão. Depois de algum tempo ele entrou na biblioteca, me cumprimentou e comentou que estava procurando um livro para ler já que não estava fazendo nada naquela tarde. Olhou em minha direção e falou:


- Parece que o livro que estou procurando está com você


Aproximou-se por trás e falou baixo em meu ouvido me causando arrepios:


- Você me empresta?


Virei-me para olhá-lo de forma mais detalhista. Ele estava mais lindo do que nunca! Vestindo uma calça formal e uma camisa quadriculada que estava justa ao corpo, dando destaque às suas formas. Respondi:


- Não posso. Estou estudando para o seu teste, esqueceu?


Falei dando ênfase ao ‘seu’ e ele me respondeu se aproximando mais ainda de minha orelha:


- Não tem problema algum, eu te ensino em minha casa


Deu uma mordida em seguida e fiquei surpresa com sua resposta, mas não neguei. No momento me senti uma vadia completa, porém era a minha chance de realizar a minha fantasia sexual com ele, meu professor de história.


- Você vai me ensinar história ou anatomia? Dependendo do que seja, penso em seu caso


Dei uma piscadela e levantei da cadeira, me aproximando dele. Resolvi dar-lhe um selinho e o entregar o livro. Fui me distanciando e ele me puxou pelo braço, jogou o livro na mesa e me beijou com volúpia me fazendo assim perder o fôlego e ficar excitada. Algumas passadas de mão por debaixo de minha saia, a biblioteca já estava ficando quente demais para nós dois. Interrompi o beijo e falei ofegante:


- Você não ia me ensinar em sua casa?


- E quem disse que eu vou agüentar até lá?


Voltou a me beijar ardentemente e me empurrou contra a parede. Confesso que toda aquela situação estava me deixando mais excitada, já podendo sentir um volume nas suas calças. Enquanto ele tentava desabotoar minha blusa, eu passava uma das minhas mãos entre suas coxas podendo sentir sua respiração mais ofegante do que nunca. Terminou de desabotoar e tirou minha blusa, vendo meu soutien que não ficou por muito tempo no lugar que estava já que ele o arrancou e começou a sugar meus seios. Ele alternava entre chupar e massageá-los.


Tirei a camisa dele com um pouco de dificuldade podendo finalmente ver seu físico. Desabotoei sua calça com certa violência e necessidade; a abaixei e vi sua cueca samba-canção já quase rasgando de tão excitado que ele estava. Comecei a acariciar seu pênis ainda com a cueca o deixando louco, abaixei sua cueca, o olhei e falei:


- Grande hein?


Comecei a chupar seu pau devagar, ele agarrou meus cabelos aumentando o ritmo do meu ‘boquete’. Já sentindo o seu pré-gozo, parei e ele me jogou em cima da mesa de estudos.


- Pronta?


Falou antes de arrancar minha saia e logo depois minha calcinha, abrindo minhas pernas e se posicionando entre elas. Começou com um leve movimento alternando entre a língua e os dedos e depois foi aumentando o ritmo o que me fazia gemer mais alto do que o esperado. Por impulso ele tapou a minha boca, para que ninguém pudesse ouvir. O avisei que iria gozar e ele parou. Olhou para mim, deu um sorriso malicioso e beijou minha barriga, que contraiu quando seus lábios encostaram-se à mesma.


Levantou-se e posicionou seu pênis ereto na entrada da minha vagina e pude o sentir entrar primeiramente em movimentos leves e depois estocando mais forte e mais rápido. Me levando à loucura mesmo sentindo dor por tamanha grossura do seu pau. Gozamos juntos; estávamos suados, ofegantes e muito cansados. Deitou por um instante sua cabeça sobre minha barriga, mas logo levantou-se e foi se vestir. Antes de me vestir, peguei um lenço que estava em minha bolsa e me limpei. O que mais me deixou excitada foi o fato que poderíamos ser pegos a qualquer momento. O que por pouco aconteceu.


Quando estava terminando de abotoar minha blusa e ele a sua calça, o professor de física entrou e mesmo estranhando, fingiu que nada viu e pediu para conversar com o professor. Peguei minha bolsa, o livro e perguntei:


- Professor, o senhor ainda vai querer o livro?


Ele me deu um sorriso safado e disse que outro dia me cobraria e que isso ainda não havia terminado. Saí da biblioteca e fui pra casa pensando no que ele havia falado. Dormi ainda com aquilo na cabeça e no outro dia sabia que aquilo teria volta.

de

http://www.casadoscontos.com.br/texto/200807400

Nenhum comentário:

Postar um comentário